Maria na vida pública e na paixão de Cristo

grey wooden cross on mountain
Tempo de leitura: < 1 minutoTempo de leitura: < 1 minuto
grey wooden cross on mountain

Na vida pública de Jesus, Sua mãe aparece duma maneira bem marcada logo no princípio, quando, nas bodas de Caná, movida de compaixão, levou Jesus Messias a dar início aos Seus milagres. Durante a pregação de Seu Filho, acolheu as palavras com que Ele, pondo o reino acima de todas as relações de parentesco, proclamou bem-aventurados todos os que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática (cfr. Mc. 3,35 e paral.; Lc. 11, 27-28); coisa que ela fazia fielmente (cfr. Lc. 2, 19 e 51).

Assim avançou a Virgem pelo caminho da fé, mantendo fielmente a. união com seu Filho até à cruz. Junto desta esteve, não sem desígnio de Deus (cfr. Jo.19,25), padecendo acerbamente com o seu Filho único, e associando-se com coração de mãe ao Seu sacrifício, consentindo com amor na imolação da vítima que d’Ela nascera; finalmente, Jesus Cristo, agonizante na cruz, deu-a por mãe ao discípulo, com estas palavras: mulher, eis aí o teu filho (cfr. Jo. 19, 26-27). (Luz dos Povos, 58)

Related Articles

Via Matris 5ª Estação: Santa Maria está presente na crucificação e morte de seu Filho

Tempo de leitura: 4 minutos Tempo de leitura: 4 minutos Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí teu filho.
Depois disse ao discípulo: “Eis aí tua mãe”. E dessa hora em diante o discípulo a recebeu na sua intimidade.
Em seguida, sabendo Jesus que tudo estava consumado, para que se cumprisse plenamente a Escritura, disse: “Tenho sede”.

Semana Santa: Maria Discípula do Senhor

Tempo de leitura: 3 minutos Tempo de leitura: 3 minutos O ciclo pascal desenvolve-se durante cerca de três meses e centra-se nas celebrações do sagrado Tríduo. É o núcleo em torno do qual se move a vida das comunidades eclesiais, que refazem a perene experiência penitencial do êxodo e da concretização libertadora da Páscoa na vida dos indivíduos.

A fundamentação Bíblica da Consagração a Maria

Tempo de leitura: 4 minutos Tempo de leitura: 4 minutos O Concílio Vaticano II (1962-1965) fez uma escolha ‘bíblica’ tratando a questão de Maria não num documento à parte mas dentro do documento sobre a Igreja. Isto levou-nos a duas obrigações: não se pode falar da Igreja sem falar de Maria e não se pode falar de Maria sem falar da Igreja. Resumindo: a Mãe de Jesus é um elemento essencial para a Igreja.

Via Matris 1ª Estação: Maria aceita com fé a profecia de Simeão

Tempo de leitura: 5 minutos Tempo de leitura: 5 minutos A bem-aventurada Virgem Maria avançou na peregrinação da fé e manteve fielmente a sua união com o Filho até à cruz, onde, por desígnio divino, sofria profundamente com o seu Unigênito e associava-se a ele com a alma materna no seu sacrifício, consentindo amorosamente a imolação da vítima por ela gerada; e finalmente, por Jesus morrendo na cruz, ela foi dada como mãe ao discípulo com estas palavras:

Responses

Open chat
Necessita de ajuda?
Ave Maria,
como a poderei ajudar?